fran duarte

cartas e poesias de amor

Textos

COMO UM FILME
_Hoje acordei me sentido tão sozinha,olhei ao meu redor tudo estava
tão igual,parecia que eu estava ali como um daqueles moveis antigo e
apagado,tudo era triste,escuro e eu sempre vivi ali e sempre gostei de
tudo como estava,só que hoje especialmente hoje tudo ali me fazia
sentir muito mal._Até as flores que eu colhi no jardim parecia estar triste como eu,o dia foi passando e a melancolia aumentando e eu já não sabia mas o que fazer,foi quando fui tomada de um sentimento inesplicavel era mistura de vontade de chorar ou sair correndo dali, ou  
enfiar debaixo da cama;mas no fundo eu sabia que nada disso ia
resolver,pois eu tenho um casamento que já vai para quase trinta anos
e a muito tempo eu me sentia sozinha e nada mais me interessava e
vivíamos quase como dois estranhos e ele tinha seus compromissos e eu
não participava deles e eu não fazia nem questão de acompanha lo e
isso foi nos afastando cada vez mais._Os nossos filhos estão crescido
e cada um tem sua vida e de vez em quando vem nos visitar, mas logo
vão embora e nos dois ficamos sozinhos com as nossas angustias
ressentimentos, situações não explicadas,palavras ditas na hora errada
isso tudo foi juntando,acumulando e nem eu nem ele procurou conversar,discutir a relação,era como se não mas nos interessava
continuar,voltei a olhar tudo em minha volta,lagrimas rolaram pelo meu rosto,peguei um retrato que estava sobre a mesinha da sala e lá estava
eu meu marido e nossos dois filhos ainda pequenos e nos sorriamos
felizes nesse momento voltei ao passado e tudo foi passando na minha mente como um filme, foi ai que entendi que o que eu estava sentido era apenas saudades do que passou e não volta mais,agora eu preciso me reinventar e aprender a viver este presente que é de um casamento quase no fim ,digo quase porque ainda a uma esperança,e eu devo tentar recupera lo;pois a minha família é e sempre será muito importante para mim...  











fran duarte
Enviado por fran duarte em 15/03/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras