fran duarte

cartas e poesias de amor

Textos

CHEIRANDO A JASMIM
A tarde que estava ensolarada derre pente ficou escura
e fria o vento cortava meu rosto triste,pensamentos
nublado passou em minha mente e eu tentava me
livrar dessas lembranças que se tornaram um tormento.

         Desde que você se foi,por algum tempo fiquei parada
         esperando que ele curasse algumas feridas,que ainda
         me faz lembrar situações criada por nos dois ,mesmo
         sabendo que não conseguiríamos viver separados.

Fomos nos distanciando,nos envolvendo com outras pessoas
e agora nesta tarde triste só existe ilusão em nosso coração
e não podemos fazer nada a não ser lamentar e deixar o vento
bater forte como se cortasse esse amor

          Pois não sei onde você está talvez neste momento role em
          lençol de cetim,abraçado a um corpo cheirando a jasmim,mas
          depois de uma noite de luxúria,sozinho em seu quarto ouve o
          vento batendo em seu pensamento e naquele momento se

lembra de mim lagrimas rolam em seu rosto,a pobre de ti ,que acredita que será feliz assim...
  
fran duarte
Enviado por fran duarte em 19/06/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras