fran duarte

cartas e poesias de amor

Textos

A ÚLTIMA VALSA
A valsa se dança a dois ao som de uma linda canção
e eu ouço la longe um som alto,risos,barulho de taças
brindando,olhei o relógio e vi que já era meia noite,e da
rua onde eu estava dava para ouvir gargalhadas, conversas
e parecia que todos estavam felizes e luzes brilhavam dentro
do palacete ,mas eu me sentia tão só e triste até a poesia fugia
da minha mente,mas sem perceber eu me sentei em um banco de
uma praça que talvez estava apenas no fundo da minha mente,e ali
eu observava tudo com muita atenção e vi pessoas andando de um
lado para outro e nem ao menos se cumprimentavam eles também estão
sozinhos na rua como eu ,e sorri um sorriso triste por não poder fazer
nada para ajuda los ,foi que lembrei uma antiga canção e comecei a
cantar devagar e baixinho e mesmo assim as pessoas começaram a
parar e me olhar bater palmas e dançar a minha volta e sorriam felizes
descobri que era fácil fazer alguém sorrir e o sorriso ameniza a dor e o
sofrimento mesmo que seja por alguns instante e então depois de cantar e dançar com as pessoas na rua eu voltei para casa e os casais
dançavam a última valsa da noite cheia de brilhos e risos falsos e iam
saindo um a um para a  suas vida lá fora e eu entrava para pousar de anfitrião perfeita e esposa prendada ...tudo foi maravilhoso ali aos olhos
dos hipócritas menos o que realmente importa "O AMOR "... e lagrimas rolam pela minha face só que isso ninguém pode ver!



fran duarte
Enviado por fran duarte em 27/12/2015
Alterado em 11/12/2016
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras